Comunidade Católica de Língua Portuguesa_Mainz

Portugiesisch Sprechende Katholische Gemeinde_Mainz


Deixe um comentário

Onde está Deus?

As notícias chegam-nos pelas televisões, pela internet, pelos mais diversificados meios de comunicação. Nos últimos dias  têm-se repetido os ataques e as ameaças de parte a parte… a lista das vítimas vai-se tornando mais clara… falo, naturalmente, dos ataques em Paris e de tudo o que se lhe sucedeu.
Naturalmente que, como crente, me pergunto: onde, afinal, está Deus? A pergunta ganha ainda mais substância quando a violência a que assistimos é perpetrada em nome d’ Ele.
Lendo  os textos que somos convidados a rezar este domingo na Eucaristia, no meio de muitas dúvidas que possam subsistir, uma convicção ganha consistência: Deus não está nos atos de violência, na sede de poder, no ódio ou em qualquer comportamento que possamos reportar de criminoso.
O Evangelho, anúncio e testemunho de Jesus Cristo, superou essas deformações da imagem de Deus. Ele próprio se apresentou como Filho de Deus, Rei que veio para instaurar uma nova ordem. Proposta que não se confunde com os critérios mais habituais nos impérios humanos de todos os tempos. Optou pela não violência, pelo diálogo, pela não descriminação, pela compreensão. Optou, sobretudo, pela justiça que é o fundamento da paz para qualquer povo e para as relações entre nações e culturas diferentes.
Deus não está na violência, mas está nas vítimas, está nos injustiçados, nos oprimidos, nos marginalizados, Ele próprio passou por essa situação. Cristo identifica-se com os que socorrem, com os que apoiam, com os que defendem a paz, a justiça, a liberdade, a igual dignidade de todas as pessoas, a solidariedade que, na sua óptica, se cataliza em fraternidade, sobretudo se as pessoas se descobrem como filhas do mesmo Pai. Porque Deus é amor, consigo-O perceber naqueles que vivem segundo essa gramática, porque Deus veio sobretudo para os que a sociedade esquece, reconhece-O nas vítimas de toda e qualquer opressão, de toda e qualquer injustiça.

P.e Rui Barnabé


Deixe um comentário

Agenda

22.11.15

Nosso Senhor Jesus Cristo, Rei do Universo (solenidade)

Magusto da Comunidade

Missa: 10.30h (Antonius-Kapelle)

11.30h: Preparação para o Crisma_Adultos: 1.º Encontro (Antonius-Kapelle)

11.30h: Catequese de Infância: Encontro Semanal

15.00h: Reunião de Leitores (Centro Paroquial)

16.00h: Preparação para o Crisma_Jovens: 1.º Encontro (Centro Paroquial)

23.11.15

Segunda-feira 34 do Tempo Comum                                              (Lc 21, 1-4)

19.00h: Curso de Alemão A1 (C. Paroquial)

24.11.15

S. André Dung-Lac, Padre, e Companheiros Mátrires (memória)(Lc 21, 5-11)

17.30h: Curso de Português A1 (Centro Paroquial)

18.00h: Conselho dos Católicos com outra Língua Materna (Erbacher Hof)

25.11.15

Quarta-feira 34 do Tempo Comum                                             (Lc 21, 12-19)   

14.30h:  Reunião de Agentes de Pastoral do Arciprestado Mainz-Cidade (KHG)

18.15h: Curso de Informática (C. Paroquial)

26.11.15

Quinta-feira 34 do Tempo Comum                                              (Lc 21, 20-28)

17.30h: Curso de Português A1 (Centro Paroquial)

18.00h: Curso de Alemão A2 (Centro Paroquial)

27.11.15

Sexta-feira 34 do Tempo Comum                                               (Lc 21, 29-33)

20.00h: Curso de Alemão A1 (C. Paroquial)

28.11.15

Sábado 34 do Tempo Comum                                                    (Lc 21, 34-36)

Missa: 19.00h (Antonius-Kapelle)

15.30h: Coro: Ensaio (Centro Paroquial)

16.40h: Rancho Infantil: Ensaio  (Centro Paroquial)

17.50h: Pais e Filhos em Catequese_1.º e 2.º Anos: Encontro (Centro Paroquial)

17.50h: Grupo de Percussão – Santo António: ensaio (Centro Paroquial)

20.00h: Rancho da Comunidade: Ensaio (Centro Paroquial)

29.11.15

Domingo I do Advento_Ano C

Missa: 10.30h (Antonius-Kapelle) > 3.º Ano Catequese_Festa da Luz

Domingo I do Advento | leituras

Leitura I: Jer 33, 14-16 | Salmo: 24 

Leitura II: 1 Tes, 3,12 – 4,2 | Evangelho: Lc 21, 25-28.34-36


Deixe um comentário

o futuro apresenta-se hoje

Já lá vão os distantes anos 90 em que uma marca de equipamentos eletrónicos baseava o sua publicidade no slogan: “O futuro apresenta-se hoje”. Mais do vender um produto, começava-se – como em tantos anúncios de hoje – a vender um conceito. O consumidor era transportado para uma era de modernidade, para um tempo tecnológico em que as possibilidades de se ser competente, eficaz, de viver comodamente, e de ter tempo para tudo, são catalizadas, graças ao produto apresentado.
Quando li os textos deste domingo, dei comigo a pensar que, de facto, o futuro se apresenta hoje, não devido a uma qualquer maravilha da técnica mas por causa da nossa própria condição de pessoa e, uma vez que somos crentes, de Filh@ de Deus. As passagens bíblicas que nos são propostas falam de um momento futuro em que Deus virá e em que inaugurará uma nova época, de justiça e, por isso, de paz e de prosperidade.
A dura realidade (até dos ultimos dias), mostra-nos que esse admirável mundo novo ainda não chegou. Mas a palavra “ainda” é, neste caso, muito importante. Este “ainda” esconde e revela a dimensão da esperança que sempre deve marcar a vida dos crentes. O Deus de Jesus Cristo sempre atuou numa dinâmica de promessa-cumprimento. O admirável mundo novo chegará penso-o, rezo-o e… testemunho-o com a convicção da fé.
Quando, onde, de que forma,… não o posso assegurar porque o Deus em que acredito faz sentido e tem sentido – é razoável! – mais é também, e simultaneamente, mais profundo e mais abrangente do que o que a capacidade humana pode atingir ou imaginar. Uma coisa no entanto é certa, esse admirável mundo começa hoje. E começa nas opções e nas ações de cada um e de todos. Se a justiça (distributiva!) é sempre premissa para a paz e portanto para a prosperidade então que os nossos gestos sejam de paz e que o nossa oração seja pela paz… que não é apenas fenómeno futuro mas caminho a trilhar a partir do nosso presente.

P.e Rui Barnabé


Deixe um comentário

Agenda

15.11.15

Domingo 33 do Tempo Comum_Ano B

Último Dia da Semana dos Seminários

Missa: 10.30h (Antonius-Kapelle)

11.30h: Catequese de Infância: Encontro semanal

16.11.15

Segunda-feira 33 do Tempo Comum                                          (Lc 18, 35-43)

19.00h: Curso de Alemão A1 (C. Paroquial)

17.11.15

Terça-feira 33 do Tempo Comum                                                 (Lc 19, 1-10)

17.30h: Curso de Português A1 (Centro Paroquial)

18.11.15

Quarta-feira 33 do Tempo Comum                                             (Lc 19, 11-28)   

18.15h: Curso de Informática (C. Paroquial)

19.11.15

S. Isabel da Turíngia (memória)                                                    (Lc 19, 1-10)

17.30h: Curso de Português A1 (Centro Paroquial)

18.00h: Curso de Alemão A2 (Centro Paroquial)

20.11.15

Sexta-feira 33 do Tempo Comum                                               (Lc 19, 45-48)

20.00h: Curso de Alemão A1 (C. Paroquial)

21.11.15

Apresentação da Nossa Senhora (memória)                              (Lc 20, 27-40)

15.30h: Coro: Ensaio (Centro Paroquial)

16.40h: Rancho Infantil: Ensaio  (Centro Paroquial)

17.50h: Grupo de Adolescentes: encontro (Centro Paroquial)

17.50h: Grupo de Percussão – Santo António: ensaio (Centro Paroquial)

20.00h: Rancho da Comunidade: Ensaio (Centro Paroquial)

22.11.15

Nosso Senhor Jesus Cristo, Rei do Universo (solenidade)

Magusto da Comunidade

Missa: 10.30h (Antonius-Kapelle)

11.30h: Preparação para o Crisma_Adultos: 1.º Encontro (Antonius-Kapelle)

11.30h: Catequese de Infância: Encontro Semanal

16.00h: Preparação para o Crisma_Jovens: 1.º Encontro (Centro Paroquial)

Nosso Senhor Jesus Cristo, Rei do Universo | leituras

Leitura I: Dan 7, 13-14 | Salmo: 92 

Leitura II: Ap 1, 5-8 | Evangelho: Jo 18, 33b-37


Deixe um comentário

Generosidade

Os textos deste domingo, particularmente a primeira leitura e o Evangelho, descrevem a atitude de duas pessoas especialmente fragilizadas no contexto social do seu tempo: duas viúvas. Ver o marido falecer, quer no tempo de Elias, quer no tempo de Jesus Cristo, significava perder o esteio da casa, também do ponto de vista da sustentação da família. Caso a mulher em causa não pudesse regressar a casa dos seus pais nem ser acolhida como filha pelos seus sogros, teria, com toda a certeza muitas dificuldades em sobreviver. Por isso é que quando no Evangelho se fala de órfãos ou de viúvas, o que realmente se refere são os mais pobres e desprotegidos de Israel.
A primeira viúva, a do tempo de Elias surge em cena como que preparando-se para morrer, com o seu filho: cozinhará os últimos alimentos de que dispõe. A segunda, é destacada da multidão pelo olhar atento de Jesus: a moeda que colocou no cesto das oferendas equivale ao maior tesouro da Terra.
Centremo-nos, para já nesta segunda mulher. Cristo repara que ela coloca tudo o que tem naquele ofertório… e ensina aos seus discípulos que a generosidade não é uma questão de quantidade, é uma questão de totalidade. Dito de outra forma, aquilo que Cristo contabiliza não é o quanto se oferece, é o como se oferece: e aquela viúva, mulher de fé, é capaz de dar tudo o que tem. Ao longo da vida, tenho-me cruzado com muitos cristãos generosos, outros,… nem tanto… Os que têm mais dificuldade em partilhar são também normalmente aqueles para quem é difícil confiar. É que a confiança traz generosidade: hoje sou eu que dou, amanhã, se necessário, também alguém partilhará comigo… E entramos na atitude da viúva da primeira leitura: Deus não me falhará. Assim, ser generoso implica confiar e confiar em Deus. Talvez por isso seja mais fácil aos pobres serem generosos. É que quem só confia em si próprio tem mesmo que se rodear de muitas coisas para se sentir seguro. Quem confia em Deus é, normalmente, mais livre.
P.e Rui Barnabé


Deixe um comentário

Agenda

08.11.15

Domingo 32 do Tempo Comum_Ano B

1.º Dia da Semana dos Seminários

Missa: 10.30h (Antonius-Kapelle)

Conselho Comunitário_Eleições [11.30h às 13.00h; 15.00h às 17.00h]

11.30h: Catequese de Infância: Encontro Semanal

09.11.15

Dedicação da Basílica de S. João de Latrão (festa)                   (Jo 12, 13-22)

19.00h: Curso de Alemão A1 (C. Paroquial)

10.11.15

S. Leão Magno, Papa e Doutor da Igreja (memória)                    (Lc 17, 7-10)

17.30h: Curso de Português A1 (Centro Paroquial)

11.11.15

S. Martinho, Bispo Tour, Padroeiro da Sé e Diocese (solenidade)
(Lc 11, 33-36)   

18.00h: “Martinus Spiel” (Praça da Catedral)

18.15h: Curso de Informática (C. Paroquial)

12.11.15

S. Josafat, Bispo de Polozk – Bielorrúsia e Mártir (memória)      (Lc 17, 20-25)

17.30h: Curso de Português A1 (Centro Paroquial)

18.00h: Curso de Alemão A2 (Centro Paroquial)

19.00h: Conselho Paroquial: Reunião (Centro Paroquial)

13.11.15

Sexta-feira 32 do Tempo Comum                                               (Lc 17, 26-37)

10.00h: Grupo de Trabalho de Líng. Portuguesa: Reunião Regional (C. Paroquial)

12.45h: Mittagstisch_Almoço Solidário (Centro Paroquial)

20.00h: Curso de Alemão A1 (C. Paroquial)

14.11.15

Sábado 32 do Tempo Comum                                                        (Lc 18, 1-8)

Missa: 19.00h (Antonius-Kapelle)

15.30h: Coro: Ensaio (Centro Paroquial)

16.40h: Rancho Infantil: Ensaio  (Centro Paroquial)

17.50h: Pais e Filhos em Catequese_1.º e 2.º Anos: Encontro (Centro Paroquial)

17.50h: Grupo de Adolescentes: encontro (Centro Paroquial)

17.50h: Grupo de Percussão – Santo António: ensaio (Centro Paroquial)

20.00h: Rancho da Comunidade: Ensaio (Centro Paroquial)

15.11.15

Domingo 33 do Tempo Comum_Ano B

Último Dia da Semana dos Seminários

Missa: 10.30h (Antonius-Kapelle)

11.30h: Catequese de Infância: Encontro Semanal

domingo 33 tempo comum | leituras

Leitura I: Dan 12, 1-13 | Salmo: 15

Leitura II: Hebr 10, 11-14.18 | Evangelho: Mc 13, 24-32


Deixe um comentário

O Evangelho no Presente

Os membros de uma mesma família têm traços do rosto comuns… As pessoas que partilham toda uma vida juntos acabam por se parecerem… Esta festa anual de Todos os Santos reúne inúmeros rostos que trazem em si a imagem e a semelhança de Deus.
Um rosto de humanidade transfigurada. Enquanto vivos, os santos não se consideravam como tais, longe disso! Eles não esculpiam a sua efígie num fundo de auto-satisfação… Contrariamente àquilo que geralmente aparece nas imagens ditas piedosas e nas biografias embelezadas, eles não foram perfeitos, nem à primeira, nem totalmente, nem sobretudo sem esforço. Eles tinham fraquezas e defeitos contra os quais se bateram toda a vida. Alguns, como S. Agostinho, vieram de longe, transfigurados pelo amor de Deus que acolheram na sua existência. Quanto mais se aproximaram da luz de Deus, tanto mais viram e reconheceram as sombras da sua existência.
Peregrinos do quotidiano, a maior parte deles não realizaram feitos heróicos nem cumpriram prodígios. É certo que alguns têm à sua conta realizações espectaculares, no plano humanitário, no plano espiritual, ou ainda na história da Igreja. Mas muitos outros, a maioria, são os santos da simplicidade e do quotidiano! Canoniza-se muito pouco estas pessoas do quotidiano!
Um rosto com traços de Cristo. Encontramos em cada um dos santos e das santas um mesmo perfil. Poderíamos mesmo desenhar o seu retrato-robô comum. Por muito frequentar Cristo, deixaram-se modelar pelos seus traços. Como Jesus, os santos tiveram que viver muitas vezes em sentido contrário às ideias recebidas e aos comportamentos do seu tempo. Viver as Bem-aventuranças não é evidente: ser pobre de coração num mundo que glorifica o poder e o ter; ser doce num mundo duro e violento; ter o coração puro face à corrupção; fazer a paz quando outros declaram a guerra…
Os santos foram pessoas “em marcha” (segundo uma tradução hebraizante de “bem-aventurado”), isto é, pessoas activas, apaixonadas pelo Evangelho… Os santos foram homens e mulheres corajosos, capazes de reagir e de afirmar a todo o custo aquilo que os fazia viver. Eles mostram-nos o caminho da verdade e da liberdade.
Aqueles que frequentaram os santos – aqueles que os frequentam hoje – afirmam que, junto deles, sentimos que nos tornamos melhores. O seu exemplo ilumina. A sua alegria é o seu testemunho mais belo. A sua felicidade é contagiosa.
em “Signes d’Aujord’ hui” | retirado de: http://www.dehonianos.org


Deixe um comentário

Agenda

01.11.15

Dia de Todos os Santos (Solenidade)

Missa: 10.30h (Antonius-Kapelle)

11.30h: Catequese de Infância: Encontro Semanal

17.30h: Grupo de Adolescentes: Encontro

02.11.15

Dia dos Fiéis Defuntos                                                                  (Jo 6, 51-58)

Missa: 19.00h (Antonius-Kapelle)

19.00h: Curso de Alemão A1 (C. Paroquial)

03.11.15

Terça-feira 31 do Tempo Comum                                               (Lc 14, 15-24)

17.30h: Curso de Português A1 (Centro Paroquial)

18.00h: Preparação para o Batismo: Pais e Padrinhos (Centro Paroquial)

04.11.15

S. Carlos Borromeu, Bispo de Milão (fmemória)                         (Lc 14, 25-33)   

18.15h: Curso de Informática (C. Paroquial)

05.11.15

Quinta-feira 31 do Tempo Comum                                                (Lc 15, 1-10)

17.30h: Curso de Português A1 (Centro Paroquial)

18.00h: Curso de Alemão A2 – início previsto (Centro Paroquial)

06.11.15

Sexta-feira 31 do Tempo Comum                                                   (Lc 16, 1-8)

20.00h: Curso de Alemão A1 (C. Paroquial)

07.11.15

Sábado 31 do Tempo Comum                                                      (Lc 16, 9-15)                                                      

Conselho Comunitário_Eleições [17.00h às 19.00h]

16.00h: Coro Infantil: Ensaio (Centro Paroquial)

17.00h: Rancho Infantil: Ensaio  (Centro Paroquial)

17.15h: Coro dos Adultos: Ensaio (Centro Paroquial)

19.00h: Grupo de Percussão – Santo António: ensaio (Centro Paroquial)

08.11.15

Domingo 32 do Tempo Comum_Ano B

1.º Dia da Semana dos Seminários

Missa: 10.30h (Antonius-Kapelle)

Conselho Comunitário_Eleições [11.30h às 13.00h; 15.00h às 17.00h]

11.30h: Catequese de Infância: Encontro Semanal

domingo 32 tempo comum | leituras

Leitura I: 1 Reis 17, 10-16 | Salmo: 145

Leitura II: Hebr 9, 24-28 | Evangelho: Mc 12, 38-44